Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Leitura orante do Evangelho: João 6,51-58 

“O Pão da Vida: uma maravilha que alimenta sempre a contemplação, a adoração, a memória” (Papa Francisco). 

Eu sou o pão vivo.

Cruzamos sem pressa esta paisagem tão bela, entramos devagar nesta surpreendente experiência do dom de Jesus e confessamos a nossa fé no sacramento do amor. “Na Eucaristia, o olhar do coração reconhece Jesus” (São João Paulo II). O pão partido e repartido de Jesus mostra-nos o seu amor até ao extremo, porque os dons são expressão do coração que ama, e nos provoca a dar-nos e partir-nos para os outros. O pão vivo é um mistério de vida, de fé, de luz, de entrega para o nosso caminho. Como vivas terão que ser as nossas eucaristias para que não se debilite a fé débil e vacilante de tantos irmãos? Jesus, em torno a ti há sempre vida. Dá-nos a tua vida para que demos vida.

Se alguém comer deste pão viverá eternamente.

Como viveremos a vida nova se não comemos o pão de Jesus? Como assimilaremos o pão da vida se não prolongamos a celebração com a adoração e a acção de graças? A Eucaristia, vivida como celebração alegre, alimenta a nossa fé, faz-nos crescer em fraternidade, reaviva a nossa esperança em Jesus Cristo ressuscitado, vence os nossos medos, dúvidas, falta de audácia. A Eucaristia é o sacramento do encontro com Jesus. “Se temos fé, e estando Ele tão dentro de mim, e se está em nossa casa, como não nos há-de dar o que pedirmos? Sua Majestade não costuma pagar mal a pousada, quando lhe dão boa hospedagem” (Santa Teresa, Caminho de Perfeição 34,8). Jesus, vida nossa. Te adoramos. Te damos graças.   

Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?

As perguntas sépticas ressecam o nosso coração e deixam as periferias do mundo cheias de esfomeados de vida, de consolo, de esperança. A entrega de Jesus é o coração da vida. Quando aprenderemos a receber e a olhar confiadamente para o que nos olha com tanto amor? Quando aprenderemos a dar e a dar-nos como Jesus? Vem Espírito Santo, acerca-nos com fé ao mistério do amor entregado de Jesus. Abre os nossos olhos para que o reconheçamos.   

Se não comerdes mesmo a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue não tereis a vida em vós.

A Eucaristia introduz-nos no mistério do amor, é a festa do encontro e da caridade, é o centro e o máximo da vida cristã. Jesus faz-se presente no meio da comunidade quando parte o pão. Jesus continua vivo quando no meio do mundo a Igreja parte o pão com os necessitados. Sempre estás disponível para o encontro. Louvamos-te e bendizemos-te, Senhor Jesus.  

Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue fica a morar em mim e Eu nele.

O amor de Jesus toca as raízes do nosso ser e provoca, como resposta, a entrega incondicional da vida. Aqui radica a experiência mais bela da nossa fé. Para conhecer e amar Jesus há que estar com Ele. A adoração é o unguento precioso derramado, como sinal de uma sobreabundância de gratuidade. A Eucaristia é a fonte da caridade de toda a Igreja. A solidariedade é a mais bela expressão nas nossas ruas do amor entregado de Jesus. Obrigado por nos amares tanto.    

Feliz festa do Santíssimo Corpo de Cristo – CIPE, junho de 2017

PDF