Viver de amor
É dar-se sem medida,
sem reclamar salário aqui na terra.
¡Ah, eu me dou sem conto, bem segura
de que no amor o cálculo não entre!
Dei-o todo ao coração divino,
que transborda ternura.
Já nada me faz parar... Corro ligeira.
A minha única riqueza é já, e será para sempre
viver de amor!

Viver de amor

É dissipar o medo,
largar a recordação de quedas passadas.
Daqueles meus pecados não vejo já a ferida,
junto ao fogo divino queimaram-se...
¡Oh doce fogueira, sagrada chama,
no teu centro eu fixo minha mansão.
E ali, Jesus, eu canto confiada e alegre:
e vivo de amor!

Viver de amor

É guardar, em si mesma,
num vaso mortal, um imenso tesouro.
Minha fraqueza é extrema, Amado meu,
estou muito longe de ser um anjo dos céus.
Mas se é verdade que caio a cada passo,
também o é que tu vens em minha ajuda
e me levantas
e me dás graças.
Vivo de amor!
Santa Teresinha do Menino Jesus